A história do Projeto Sabão com Arte

1. Génese

  1. Génese

O projeto Sabão com Arte – E5G resulta de uma proposta apresentada pelo CEIFAC (Centro Integrado de Apoio Familiar de Coimbra), no âmbito das Candidaturas Pontuais ao Programa Escolhas E5G – 2015 , sob a tutela do Alto Comissariado para as Migrações. Num universo de 228 candidatos, a nível nacional, foram aprovados 15 concorrentes, entre os quais figurava esta iniciativa de empreendedorismo social, que convenceu o júri do programa governamental. Trata-se de um mecanismo que financia, apoia e avalia modelos de intervenção na área da inclusão de crianças e jovens provenientes de contextos socioeconómicos vulneráveis, tendo em vista a igualdade de oportunidades e o reforço da coesão social. Cofinanciado pelo OE (ISS, DGE) e pelo Fundo Social Europeu (QREN/POPH), o Escolhas ativa e mobiliza os recursos locais, alocando recursos adicionais às comunidades.

Num momento de viragem para a sustentabilidade das Instituições de Solidariedade Social, esta iniciativa experimental de caráter inovador conquistou, portanto, uma preciosa oportunidade para mudar a vida de algumas pessoas e melhorar as condições de trabalho das associações solidárias.

2. Destinatários

  1. Destinatários

O projeto, que teve início a 1 de Janeiro de 2015 e termina a 31 de Dezembro, pretende, numa primeira fase, capacitar para a empregabilidade vinte jovens, entre os 16 e os 30 anos, provenientes de contextos socioeconómicos desfavorecidos e em situação de abandono escolar precoce, desocupação ou desemprego. Está, assim, especialmente direcionado para imigrantes, descendentes de imigrantes, membros de minorias étnicas e jovens em fase de autonomização, na sequência de um período de institucionalização. Privilegia-se, pois, um grupo de destinatários que não estão inseridos no mercado de trabalho e não beneficiam de suporte relativamente ao processo de construção de um projeto de vida adequado às suas necessidades.

3. Objetivos

  1. Objetivos

CAPACITAR jovens provenientes de contextos vulneráveis, desenvolvendo ferramentas de acesso ao emprego para cidadãos inativos, através de uma fase inicial de formação teórica e posterior experiência em contexto real de trabalho.

PROMOVER a implementação de um negócio social de fabrico e comercialização de um sabão artesanal, inspirado na história e na cultura da cidade de Coimbra, com particular destaque para a zona distinguida pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade, tirando partido do expetável aumento do fluxo turístico de Coimbra.

EMPREENDER esforços para criar efetivamente novos postos de trabalho e contribuir para que os formandos possam encontrar emprego junto de outras entidades, aplicando os conhecimentos adquiridos.

INOVAR na forma de relacionamento dos parceiros sociais, de modo a estimular a sinergia das entidades locais e da população em geral, gerando receitas que permitam assegurar a viabilidade financeira do projeto.

r

4. Fases de operacionalização do Projeto

  1. Fases de operacionalização do Projeto

Janeiro a abril de 2015 – Processo de seleção dos formandos e organização do cronograma da formação teórico-prática.

Maio a setembro de 2015 – Período de realização da formação teórica e prática, adequada ao desenvolvimento de soft skills potenciadoras de uma melhor inserção profissional no mercado de trabalho. Os módulos são ministrados pelo CEARTE-Centro de Formação Profissional do Artesanato; pela INOPOL-Academia de Empreendedorismo do Instituto Politécnico de Coimbra; pela Faculdade de Psicologia e de Ciências de Educação; pela Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra e pelo CEIFAC–Centro Integrado de Apoio Familiar de Coimbra.

Outubro a dezembro de 2015 – Fase de fabrico e preparação do design dos produtos, em colaboração com a Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra, a Escola Superior de Educação de Coimbra e o Departamento criativo do CEARTE.

Dezembro de 2015 até ao presente – a unidade produtiva da Sabão com Arte encontra-se a produzir sabonetes que recriam a receita medicinal publicada na primeira edição do Codigo Pharmaceutico Lusitano, estampada pela imprensa da Universidade em 1835.